sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Sou das Terras do Fim do Mundo

Sábado, 11 de Outubro de 2008



(Imagem da Net)

Sou das terras do fim do mundo,
do mesmo País que tu.
Do sol ardente,
do mar profundo,
da savana seca, rastejante,
da picada vermelha sem fim,
do urro do elefante,
dos tambores e do capim.
Sou nascida no continente,
manga gigante
apetecida e imponente
doutras gentes e doutra cor,
do mulato e do negro zulu.
Sou África à nascença,
selva, rio, correnteza
e África guardo dentro de mim.
Sou o azul da diferença,
da majestosa beleza,
do local onde nasci!
Sou das terras do fim do mundo,
meu paradisíaco jardim.


Etiquetas: Meus Poemas
publicada por Isabel Branco @ 20:59

9 comentários:

Isabel Branco disse...

Às 12 de Outubro de 2008 17:16 , melanie disse...

Isabel

ÁFRICA é magia.A sua beleza,as suas gentes,as suas côres, o cheiro da terra...tudo amiga.Viemos de lá e quanto nos custou. Quantos de nós não teve vontade de voltar?
Senti o que escreves e gostei.
Entre a revolta e a esperança vou aqui deixar escrito pelo meu pai:
GRITA CORAÇÃO!
Grita coração,
bem alto, sem cessar;
Não traias minh'alma
esfrangalhada a findar.
Volta a ter calma !
Sê forte como dantes,
como a fúria do mar
as areias a arrastar!

Bjo amiga

Isabel Branco disse...

Às 14 de Outubro de 2008 23:29 , Isabel Branco disse...

África corre-nos no sangue
seiva de saudade,
mistério e renovação,
sortilégio inolvidável...

Isabel Branco disse...

IBranco!!! Minha Poetisa "aZulinha!!!

"Mais palavras para Kê!!!"
podia ficar assim...
mas, este TOdo do teu TUDO...
soa-me sepre a "querubim"!!!

Agora... sim!!!
há "cantinho bem TEU
Esta "pangeia" d'afectos
será mais um "recreio" MEU!!!

Se Gosto...
PaRaBéns!!!

Voltarei

sempre
aileda/adelia

Isabel Branco disse...

Às 17 de Outubro de 2008 8:46 , NAMIBIANO FERREIRA disse...

Essa nossa terra do fim do mundo costumo eu chamar a minha renúncia impossível!!!

Kandandu!!
Namibiano

Isabel Branco disse...

Às 17 de Outubro de 2008 8:50 , NAMIBIANO FERREIRA disse...

Esqueci-me de dizer: gostei da foto pois utilizo-a no meu blog, lindissima... com toda a forca telúrica da magia africana e dos misticos e míticos imbondeiros que arranham as nossas saudades e lembrancas.

Isabel Branco disse...

Aileda

Minha irmã de África e da poesia.
O meu cantinho hoje estava em queda, em recauchutagem absoluta, pois perdi toda a informação lateral. Mas é com os erros que a gente aprende. E eis, que se levanta de novo, com a cara inicial e não tristonho como o encontraste. Conto com a tua presença e a tua poesia para juntas lebvarmos África e esse sentimento lindo que nos move que se chama poesia.

Um beijão e bom fim de semana

Isabel Branco disse...

Namibiano

Benvindo.
Jamais renunciarei a África e ao seu chamamento. Metade de mim, vagueia por lá, nas anharas, na savana, na cor e no cheiro que ainda hoje sinto e me fortalece.
Temho uma colecção de fotos de embombeiros, pois são uma das saudades da minha infância. Continuo a admirar a solidão e grandeza que me inspiram.
volte sempre, trocaremos saudades.

Um abraço

helena disse...

Sempre sonhei com África...não sei porquê,talvez porque aquelas amigas que obrigatóriamente tiveram que abandonar aquelas terras onde viviam...e rejuvenesciam a todo o momento...aquelas amigas, que trouxeram com elas uma nostalgia que facilmente me transmitiram e me viciaram...
Adorei relembrar a magia de Áfria...
beijinho
Li@

Isabel Branco disse...

Helena

Tal como a poesia e como diria o nosso grande poeta, Fernando Pessoa, "primeiro estranha-se, depois entranha-se". Pessoalmente, nunca a estranhei nasci nela e com ela entranhada até à alma.
Um beijinho