quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Folha em Branco





Papéis... e mais papéis...
pela mesa, pelo chão...
Espalhei-os assim, cruéis...
abrindo apenas a mão.

Agora todos baralhados
e, de papel invertido,
confundem-se misturados
sem nexo e sem sentido.

Apenas uma alva folha
a verdade me anuncia
da rima que se desfolha.

Do verso de que jaz fria
como da vida recolha
permanece ainda vazia.


6 comentários:

Rosangela Neri disse...

Gostei muito... estou tão cheia de trabalho que nem consigo falar em folhas rsrsrsrsrs

Beijinhos carinhosos da Rô

Isabel Branco disse...



Também eu. Só vejo papéis por todo o lado.

Beijinho.

Carlos Barros disse...

Querida Isabel,
Encantei-me com teu poema!

Papéis, papéis... Poemas guardados no tempo. Lembranças de cartas que recebia!

Estou devaneando em minha nostalgia.
rsrs

Beijo!

Isabel Branco disse...

Carlos

São tantos os papéis que assumimos na vida...
são tantos os papéis que nos rodeiam...
são tantos os papéis que nos passam despercebidos...
são tantos os papéis, folhas em branco, que ainda nos faltam preencher...
são tantos os papéis que nos enchem de saudades...

Bom fim de semana e um beijinho.

manzas disse...

O mundo adormece na cama do céu
Enquanto permaneço acordado no teu roseiral…
Vigilante no teu galante corpo, rosa sem véu
Batem janelas inquietas, pétalas em temporal

Neste momento,
Desejo
Um bom fim-de-semana
Materializado em harmonia
Com muita alegria…
Um excelente CARNAVAL
Com muito divertimento
Desmascarando amor
Com paz,
Cheio de muita folia…

O eterno abraço…

-MANZAS-

Isabel Branco disse...

Manzas

O Carnaval aí está na praça
mascarado de alegria
entre folguedos e folia
escondendo a dor e a desgraça.

Num exorcismo reinventa e traja
tantas vezes uma alma vazia.
É a festa, a loucura, a orgia
para que paciência depois haja...

Bom Carnaval e um beijinho.