domingo, 5 de abril de 2009

O Pálido Ponto Azul Que Somos



Nós estamos aqui:

O Pálido Ponto Azul

tão grandes...


tão soberbos...


tão prepotentes...


e tão minúsculos


perante o Universo!



Para reflexão...




10 comentários:

Úrsula Avner disse...

cara escritora, linda e singela reflexão que me fez visualizar o nosso planeta azul como um minúsculo ponto no imenso universo ao qual pertencemos. Sou psicóloga e poetisa e estou buscando fazer novos contatos no blogspot. Quando puder faça-me uma visita. Bjs.

Paula Raposo disse...

Extremamente minúsculos, Isabel...beijos.

Maripa disse...

Somos,de facto, soberbos,minúsculos e insignificantes no Universo,esse sim grandioso.

Com seria bom que "acarinhassemos" o nosso planeta azul...

Beijinho, Isabel.

Isabel Branco disse...

Ursula

Grata pela sua visita. Passei já pelo seu blog e descobri a sua poesia de que gostei bastante.
Estou também há pouco tempo na blogesfera e tem sido uma descoberta muito interessante e humanamente enriquecedora.

O mundo é, de facto, maravilhoso e nós tão pequenos mas, tão capazes de o destruir num abrir e fechar de olhos.

Bem vinda e volte sempre.

Um beijinho.

Isabel Branco disse...

Paula

À dimensão do espaço, não passamos de infímos pixels na grandiosa obra que é o Universo.

Um beijnho.

Isabel Branco disse...

Maripa

Olá.

Temos um mundo fantásticamente belo para sermos felizes. Porém, parece que muitos só conseguem ser felizes destruindo-o. Há que inverter esta ordem de ideias para que as gerações vindouras partilhem de beleza e grandiosidade que é o nosso planeta.

Um beijinho.

Maria Clarinda disse...

E sempre com a mania que somos os maiores...quando será que o homem entenderá que na imensidão do universo nada somos...e é Ele o Universo que nos rege?
Lindo
Jinhos mil da "chicoronha"

manzas disse...

Num traço de avião, desvendo o teu rosto,
Rosto de nuvem em céu azul, luz do infinito…
Infinito desfasamento de Poalhas em fundo fosco,
Fosco cálice vazio que cala a voz de um grito!

Grito queimado nas cinzas de um cinzeiro,
Cinzeiro apagado de um quarto de hotel perdido…
Perdido por um ardente amor, enamorado por inteiro!
Inteiro o calor de um corço que arde consumido.

Que nesta Páscoa receba muitas bênçãos,
Que esta passagem lhe traga
Muito amor, saúde, paz e esperança…
Por ser uma pessoa especial,
Lhe desejo…

Uma FELIZ PÁSCOA!
Bem-haja!

O eterno abraço…

-MANZAS-

Isabel Branco disse...

Maria Clarinda

Neglicenciamos o fundamental...o ar que respiramos,o mundo em que vivemos e que tanto tem para nos maravilhar.

Boa Páscoa e um beijinho.

Isabel Branco disse...

Manzas

Belíssimo poema...quanto sentimento, quanto desejo...quanta emoção... nele implicitos!

Boa Páscoa e um beijinho.