quarta-feira, 25 de março de 2009

O Encanto das Ondas





Quando a lua se espelha no mar
no ângulo do poema
define-se o infinito, hermeticamente,
celebrando a hora
na geometria do olhar.

Tomam-se de coragem
as Nereidas, filhas de Neptuno,
ninfas ousadas e guerreiras...

Aliam-se às belas e destemidas musas,
descendentes de Vénus,
festejando o encanto das águas
no vai vem das marés prematuras.

Banham-se unidas, insistentemente...

Libertas das conchas maternas
ganham formas... Adquirem posturas
no mito e na simbologia,
na beleza das deusas
numa completa interacção
de graça, sonho e harmonia.

Crescem-lhes flores nos cabelos
e estranhos perfumes exalam...
Das mãos soltam anémonas
e, em seus desnudos colos,
brilham cumpridos, nacarinos
colares de pérolas.

Do útero da terra, em paradoxo,
vulcões se agitam
em magmas escaldantes
e inequívocos tremores.

Frémitos, gritos, horrores
arrastam na correnteza.
Revoltosas, tempestivas,
zangadas com seus amores,
rugem desmedidamente
e divinais e possessivas
espumam suas iras
no bramir da rebentação...

Repentinamente,
sem explicação,
sussurram na voz dos ventos,
numa absoluta e calma magia
e amantes, sensualmente,
adormecem no bailar das ondas
que, serenamente,
se enrolam na quietude
da quente e húmida areia...


9 comentários:

Anónimo disse...

Oi poetisa linda,me deixas-te a flutuar neste imenso mar lindo e maravilhoso...Viajei nos teus versos...Lindo poema faz os olhos brilhar diante de tanta beleza.Abençoada sejas por todo o carinho e harmonia que sempre colocas em teus poemas!Uma linda noite de luz!

Beijos

Nônô

O Profeta disse...

Fabuloso poema...


Doce beijo

entremares disse...

Por vezes, nós também somos ondas.
Somos crista, somos espuma,
às vezes vento,
às vezes tormento,
quase sempre areia...
... e, por vezes, lamento.

Isabel Branco disse...

Nonô

São instantes em que a imaginação, quase a medo, se solta e brada emocionada.

Um beijinho.

Isabel Branco disse...

Profeta

Obrigada, meu amigo. "Fabuloso poema"...Duas palavras que vindas dum verdadeiro poeta me conferem tanto.

Um beijinho.

Isabel Branco disse...

Entremares

Das lágrimas choradas
faria um pequeno oceano.
Pelas faces marejadas
seria doutras ondas ufano...

Um beijinho.

Paulo disse...

Eu diria que a poesia, em sua pureza extrema, escolheu um caminho da inspiração que chega a você. A poesia está se expressando, por excelência, através de você.
Um grande abraço.

Isabel Branco disse...

Paulo,

Se essa é a minha missão na vida, tentarei cumpri-la buscando, em cada poema, a poesia. Obrigada e bem vindo.

Um beijinho.

tati disse...

Parabéns pelas lindas palavras e a bonita imagem!