quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Ninguém


(Imagem da Net)


Sou um livro de poemas
que só um poeta sabe ler.

No antes...
No depois...
Durante...

Sou a chama que não se extingue,
mas que incendeia...

Porém...

Sem poeta,
sem poesia,
não sou nada...

Sou ninguém!




4 comentários:

Anónimo disse...

"Minha querida amiga"

A poesia é mágica e tem encanto. E este teu poema merece os meus aplausos.

Beijinhos

Nônô

Isabel Branco disse...

Nonô

"A gratidão é o único tesouro dos humildes." (William Shakespeare)
é o que neste momento me soe dizer.
Um beijinho.

Melanie disse...

Isabel
Tu podes não ser ninguém no mundo,
mas podes ser o mundo de alguém!

Poema lindo amiga
Bjo

Isabel Branco disse...

Melanie

Modéstia à parte - de alguns alguéns! Não será esse o príncipio da felicidade??

Bjinho-