domingo, 8 de janeiro de 2012

Fim de festa



Despendurei as estrelas da árvore de Natal,
descoordenei-lhe os ramos,
arrumei as pecinhas de cristal
em gavetas de solidão.
E as ideias entristecidas...
num tocar de sinos calados
por aqueles que mais amamos,
quedaram-se em grande confusão!
Murcharam  as velas douradas ,
agora também guardadas,
e os enfeites, as cores, as fitas , o festival
todos juntos, em fim de festa,
numa caixa silenciados
esperam o ano inteiro nova luz, afinal...

Isabel Branco

1 comentário:

Marcio Barreto disse...

Isabel,
receba um abraço de um brasileiro, que agora desperta para a poesia.
Minha vida é assim, antes o teatro, agora as letras.

Deixo meu endereço para a sua visita.

http:comversoemrima.blogspot.com

Ainda sou um novato.

Abraço,
Márcio André