segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Na Tua Nudez


(Imagem da Net)



Expões-te...
Desnudas-te...
Publicas-te em fotos...
Das pudibundas partes te mostras...
Vestido apenas de afectos
dás-te enquanto homem,
e, ainda que, grotescamente,
pretendas afirmar o contrário,
inteiro te entregas ao conflito da razão,
do ser, do sentir, do corpo e do coração!
E... vences distâncias...alcanças a fonte,
renasces...
na simplicidade do gesto,
na inocência da dádiva,
na masculinidade da expressão...
Tântrica, gratuitamente,
da bruta lava incandescente
serenas e acalmas
o púbico monte,
espalhando na nudez a ilusão
e o gosto agridoce da saudade!


2 comentários:

Guilherme disse...

Sem preconceitos nem vergonhas. Autenticidade apenas. Só assi nasce a saudade...agridoce.

Isabel Branco disse...

Gui

Olá. De facto...só na autenticidade existe o verdadeiro âmago. Tudo o mais...é moldura!

Um beijinho.