segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Gemidos de Poeta




Esguias, rebuscadas, solenes
são promessas em campos de fé,
inextinguíveis, perenes,
sólidas pirâmides de Gizé,
as musas que concernes.

Como nos contos de fadas
são príncipes e princesas
das histórias na infância contadas.
São como velas acesas
no altar de imagens idolatradas.

Bruxuleiam tais estrelas cadentes
em linguagem histérica, gestual
envolvidas em mistérios prementes,
premissas dum ser genial
que em ti se escondem latentes.

Nimbos em radiosos arcos de luz
circundam teu pensamento
que em melopeia se traduz.
Buscas na caneta, o esquecimento.
escreves, gemidos de poeta...por tua cruz.


8 comentários:

Rosangela Neri disse...

Como admiro o mundo dos poetas!
Quem me dera...
Beijocas e boa semana!
Bisbilhoteira Rô

Argos disse...

Olá

Os gemidos dos poetas são os gritos de todos nós, dos que não sabem escrever os sentimentos.

Um abraço e obrigado

Tentativas Poemáticas disse...

Querida amiga Isabel
Venho desejar-lhe os melhores votos de SANTO NATAL e um óptimo 2010, sobretudo com aquilo que sempre considerei mais importante: a SAÚDE.
Beijinhos com ternura

António Pais

--
http://antoniopais1.blogspot.com
http://contosdaguerracolonial.blogspot.com

Luis F disse...

Um poema, um estado de alma... a força das palavras.

Parabéns por este gemido, por este poema, por este pedaço que aqui deixas e que adorei ler

Luis

Isabel Branco disse...

O mundo dos poetas dói...dói tão profundamente que seja a rasgar a alvura do papel.

Bom Natal e um beijinho.

Isabel Branco disse...

Argos

Poeta é aquele "que chega a fingir qie é dor a dor que deveras sente!"

Bom Natal e um beijinho.

Isabel Branco disse...

António

Um bom e santo Natal. Muita Paz e Harmonia em plena saúde.

Um beijinho.

Isabel Branco disse...

Luis

Um bom Natal cheio de poesia e magia.

Um beijinho.